cabecalho do site para ser visualizado computador cabecalho do site para ser visualizado no celular
Pesquisar no site do Alcscens

Pesquisadores



Susana Oliveira Dias


Licenciada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal da Bahia (1995), mestre em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (2002) e especialista em Jornalismo Científico pelo Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo (Labjor) da Unicamp. Doutora pela Faculdade de Educação da Unicamp, no grupo de pesquisas Humor Aquoso do Laboratório de Estudos Audiovisuais (OLHO), pesquisando as potencialidades pedagógicas dos papéis (jornal, revista, internet, TV, tela do cinema, pintura, fotografia) no encontro com conceitos de Gilles Deleuze: acontecimento, fabulação e signo. Aposta em experimentações por entre imagens, arte, mídias, comunicação, educação, filosofia e ciências. Atualmente é pesquisadora (Pq C) do Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo da Unicamp (Labjor), professora e coordenadora do curso de Mestrado em Divulgação Científica e Cultural (MDCC) do Labjor-IEL-Unicamp. Professora colaboradora do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais do IFCH-Unicamp, na linha de pesquisa "Modos de conhecimento e suas expressões: Experiências e Trajetórias". É líder, junto com a Profa. Dra. Elenise Andrade, do grupo de pesquisa "multiTÃO: prolifer-artes sub-vertendo ciências e educações". Sub-coordenou o projeto Biotecnologias de Rua (CNPq, No. do processo: 553572/2006-7. Edital MCT/CNPq n. 12/2006 Difusão e Popularização da C&T) , que pretendeu, pela produção de artefatos artísticos, produzir uma interação entre imagens, biotecnologias e público. Sub-coordenou dois outros projetos derivados do Biotecnologias de Rua:"Num dado momento - biotecnologias e culturas em jogo" (Preac-Unicamp, convênio 519-292/auxílio 803-08) e "Um lance de dados: jogar/poemar por entre bios, tecnos e logias" (MEC-MInC-Petrobras convênio 4210 Fauf/Nudecri). Atualmente, sub-coordena dois outros projetos: "Por entre ciências, divulgações e comunicações, as configurações políticas de cultura e de público" (Fapesp) e "Escritas, imagens e ciências em ritmos de fabul-ação: o que pode a divulg-ação científica?" (MCT/CNPq Nº 14/2009). Participa, também, dos projetos "Fabulografias: áfricas-cartões-postais" (Preac-Unicamp), desenvolvido na FE-Unicamp, e "Fotografias a entrelaçar saberes e culturas através de cotidianos que se (ex)-pressam", desenvolvido na Uefs-Bahia.


Órgão: LABJOR/NUDECRI
Telefone: (19) 3521-5193
Lattes: http://lattes.cnpq.br/5698405999655776


Objetivos Específicos


OBJETIVOS ESPECÍFICOS - #8

Melhorar e aprofundar a divulgação científica na área de mudanças climáticas


Este objetivo está diretamente relacionado a um dos quatro desafios principais existentes na área de mudanças climáticas que é o de melhorar e aprofundar o entendimento do assunto através do desenvolvimento de formas de divulgação, difusão e popularização do conhecimento científico sobre o mesmo. De modo específico, pretende-se gerar materiais audiovisuais para as imprensas geral e especializada, que possam contribuir para melhorar o entendimento do assunto e viabilizar o estabelecimento de contatos com a imprensa nacional e revistas especializadas sobre o assunto. Outro aspecto relevante relacionado a este tema é o de melhoria dos sistemas atuais de informações meteorológicas e climáticas aplicadas à agricultura. A Unicamp, através do Cepagri, tem grande experiência na prestação de serviços nas áreas de meteorologia e climatologia através da Internet. A página do Cepagri/Unicamp (http://www.cpa.unicamp.br) entrou em funcionamento em 16/05/1995, 15 dias antes da criação do Comitê Gestor da Internet no Brasil (em 31/05/1995), que marca o início da sua operação comercial no Brasil. Trata-se de um dos serviços mais antigos nas áreas de meteorologia e climatologia aplicadas à agricultura do hemisfério sul e que serviu de base para a criação do Sistema de Monitoramento Agrometeorológico Agritempo (http://www.agritempo.gov.br), juntamente com a Embrapa em 2003, que presta serviços a todos os estados do país. O grande desafio atual destes serviços está em conhecer melhor qual tem sido a utilização efetiva que os seus vários usuários (principalmente agricultores, gestores públicos e privados e técnicos) têm feito dos produtos colocados automática e gratuitamente à disposição na forma de mapas, gráficos, tabelas e textos de recomendação. Este entendimento da relação entre a geração e a utilização de dados e informações meteorológicas e climáticas é estratégico para extrair o máximo possível do grande potencial que a tecnologia de previsão de tempo e clima tem a oferecer para a agricultura, atualmente e no futuro. Trata-se de um demanda real existente no mundo inteiro, e não apenas no Brasil, de serviços semelhantes ao do Cepagri/Unicamp e Agritempo. Ressalta-se que, além da Internet, o Cepagri/Unicamp tem larga experiência, também, no atendimento ao público através de consultas pessoais, telefone, palestras e mídia em geral (rádio, jornal e televisão).




Trabalhos Publicados

Artigos Vida e tempo em proliferação: Potencialidades das imagens na divulgação científica das mudanças climáticas
Tainá de Luccas e Susana O. Dias


Logotipo do Programa Fapesp de Mudanças Climáticas Processo N.08/58160-5 | Período: 01/12/2010 a 30/11/2014